Drummond Revisitado - Análise Literária

 



Uma análise da interpretação do Conto “A Morte de D.J. em Paris”-

(By Maria das Graças Lacerda) De 6 de Abril - outono de 2013

A interessante série “Um Sonho em Paris”, de autoria da escritora Lu Cavichioli, em que a autora faz uma releitura da obra “A Morte de D.J. em Paris” do escritor mineiro Roberto Drummond é digna de uma análise acurada e séria.

A autora Lu Cavichioli possui seu estilo literário próprio de narrar e foge inteiramente às inovações estilísticas e de linguagem do escritor revisitado. Assim como sua narrativa, Lu Cavichioli encanta com sua linguagem próxima do “pop”, onde relata a busca da mulher diáfana e azul, em que se desencadeia o principal elemento do conto: o sonho.

A personagem principal da série “Um Sonho em Paris”, G. Apolinário, sobrevive porque seu sonho a alimenta! E assim alimentada, porém perdida, aturdida e atormentada, realiza todo um percurso de busca de sua “femme blue” em meio à selva iluminada de uma metrópole chamada Paris. G. Apolinário consegue, porque sonha, transformar o sótão do sobrado em que vive, numa “Paris imersa em tons de azul”!

Exatamente como no renomado conto de Roberto Drummond, Lu Cavichioli consegue fazer o leitor entrever o que a Cidade-Luz representa para o professor de Literatura e Francês: o Paraíso. E é dentro desse paraíso que G. Apolinário vai buscar a sua “femme blue”, seu protótipo da mulher ideal.

Essa linha agradável do fantástico atrai sensivelmente o leitor e o convida a indagações sobre a verdadeira identidade do professor de Francês que, após anos de passividade e anulação, oscila entre a realidade e a fantasia que alimenta.

Lu Cavichioli, ao revisitar “A Morte de D.J. em Paris” narra ainda, em clima de quase delírio, a declaração de amor de G. Apolinário pelo Brasil e introduzindo elementos como as cartas, escritas e deixadas por ele, faz mais que introduzir um signo de verossimilhança na sua história: conferiu-lhe ares de glamour, suspense e veracidade.

Alguns críticos literários são adeptos do fato de que há certa dificuldade em se revisitar um autor consagrado, como é o caso de Roberto Drummond. Porém, há aqueles que defendem e ressaltam o potencial do escritor que revisita. No caso de Lu Cavichioli, a série “Um Sonho em Paris” é exclusivamente sua, única, com seus traços estilísticos peculiares, e com linguagem própria, revelando suas qualidades artísticas ao sabor da pena... Nada há de afetado em sua série! A autora apenas toma emprestados de Drummond personagens e cenários, e vai brincar com eles, desfechando com maestria a história do atormentado professor de Francês que amou sua “femme blue” e viveu para encontrá-la.

O leitor é conduzido pela história e instigado até mesmo a duvidar da morte de G. Aplinário, quando Lu Cavichioli afirma: “desaparecido ou possivelmente morto”, para, em seguida, anunciar a trágica revelação. Sim, Apolinário, atormentado professor de Francês, para dor de Alinne, sua noiva, está morto e morto com ele seu sonho, sua Sue Azul, sua “femme blue”, seu grande e único amor!

E, lá no infinito Azul de seus sonhos, após um destino dignamente concedido pela autora, para colocar um fim em seu tormento, G. Apolinário espera finalmente encontra-la, a dona de sua vida, a dona dos sapatos musicais.

Apenas uma única e cruel certeza reina agora: Alline perdera estupidamente seu noivo para a diáfana - e real - mulher azul...e que viveu tão-somente naquele sótão, na imaginação e no coração de G. Apolinário. Que descanse em paz!

Fim



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, seja bem vindo!

Comente, deixando seu parecer e tenha a certeza de que ficarei bem feliz

Obrigada